Você tem vergonha de compartilhar sua arte?

Por: Marcel Vidal - 28/08/2020

Imagine esta cena: você está em um almoço de domingo, com toda a família reunida. De repente, sua mãe exclama: "Meu filho desenha muito bem! Mostra seu caderno!" Nessa hora você congela e, em uma vergonha enorme, pega seu sketchbook, entrega-o aos seus familiares e depois fica se sentindo mal ou estranho, a ponto de pensar em sair da sala ou de se questionar se vale a pena continuar desenhando. Isso já aconteceu com você? Comigo já.

Olá! Me chamo Marcel e confesso que meu engajamento nas artes visuais é um tanto recente. Quando criança, e mais tarde no ensino médio, eu gostava de desenhar, porém acabei não investindo nesse hobby. Foi só há uns quatro anos atrás que eu, já exercendo a profissão de fisioterapeuta, em um feriado monótono em casa, retomei meu interesse pelo desenho e estou trabalhando nisso desde então.

Nessa coluna resolvi abordar sobre um desconforto que já pegou no meu pé muitas vezes, e percebo que no pé de muita gente também. Por mais que você se esforce, que dê o melhor de si na criação de um desenho, você se sente inseguro para divulgar o que criou? Isso acaba sendo um problema, pois você acaba perdendo a oportunidade de crescer como artista.

No meu caso eu sempre fui tímido (o que não é exatamente um problema, afinal de contas, desde que ela não te prejudique para falar em público, ser proativo no trabalho ou desenvolver relacionamentos), mas foram outros fatores, como o medo de não agradar a todos e até a ideia de parecer criança por ficar desenhando (por mais sem noção que isso possa parecer), que mais me limitaram. Eu cheguei a ter umas ações um tanto sem sentido, como esperar um horário onde houvesse menos gente no Facebook e no Instagram para postar meus desenhos e até a restringir as pessoas que pudessem visualizá-los (até por que eu ficava com vergonha que colegas de trabalho vissem). Por outro lado, também me sentia triste quando eu recebia poucas curtidas.

Em meio a esse turbilhão de sentimentos e contradições, eu demorei para perceber que quem estava impondo essas barreiras, afinal, era eu mesmo, e de fato nós é que acabamos criando problemas que simplesmente não existem.

 

Pensando nisso, resolvi trazer algumas dicas para, assim espero, conseguir ajudá-lo (a) a lidar com suas inseguranças. Vamos lá:

  • Procure conhecer a si mesmo: O autoconhecimento é a primeira e mais importante etapa nesse processo. Procure refletir: O que te impede de querer divulgar seus trabalhos? Você não se considera bom o bastante no que faz? Tem medo das opiniões alheias? Tem dificuldade para lidar com críticas e elogios? E o que você pode fazer para lidar com tudo isso? Com base nessas reflexões, podemos passar para as sugestões a seguir.
  • Siga e aprimore o seu estilo: Aqui mesmo no Inspirarte já foram publicadas algumas colunas que refletem sobre a busca que nós fazemos por um estilo de desenho próprio. Essa busca é bem individual, cada um descobre a sua forma de desenhar, no seu tempo e no seu ritmo. A partir do momento que você descobre a sua identidade, o que gosta de desenhar e quais técnicas te agradam mais, você se torna mais assertivo e, portanto, mais seguro. Porém não fique ansioso, desesperado para descobrir o seu estilo artístico. Respeite o seu ritmo de aprendizado e de treino.

 

  • Procure estudar e praticar: É importante manter uma rotina de estudos, praticar técnicas diferentes e buscar referências para desenho. Você ainda pode definir alguns objetivos, metas para alcançar a curto, médio e longo prazo. Dessa forma, você ganha mais confiança para criar e consegue estruturar melhor o seu estilo de desenho.
  • Não se compare: Como eu já escrevi antes, cada artista tem sua própria trajetória, seu próprio ritmo e seu próprio estilo de desenho. Então, não tem por que você ficar se comparando com outros artistas que você segue nas redes sociais, não é? Falando em redes, também de nada vale você comparar as suas curtidas com as dos outros, certo?
  • Saiba lidar com as críticas: Pode acontecer de você receber críticas pelo que que você desenhou, algumas até podem te deixar desconfortável, mas não se preocupe. É importante selecionar aqueles comentários que pode somar em sua arte e aqueles que são apenas "hate" (nesse caso, ignore mesmo).

E, por fim, bons desenhos! Não sinta vergonha do que você faz, mas orgulho!

Até mais!

Para mais inspirações me siga aqui no Inspirarte:

https://www.inspirarte.art.br/artista/MarVi/perfil

Olá! Me chamo Marcel e confesso que meu engajamento nas artes visuais é um tanto recente. Quando criança, e mais tarde no ensino médio, eu gostava de desenhar, porém acabei não investindo nesse hobby. Foi só há uns quatro anos atrás que eu, já exercendo a profissão de fisioterapeuta, em um feriado monótono em casa, retomei meu interesse pelo desenho e estou trabalhando nisso desde então.



Comentários:

Para comentar você precisa estar logado.